Formação de Professores do Ensino Médio finaliza a 2ª turma com um aulão para o Enem

“Essa não foi a primeira formação sobre o Enem que participei, mas certamente foi a melhor e valeu muito a pena”, disse José Luiz Almeida, professor de matemática da Escola Nossa Senhora do Rosário, em Marituba, minutos antes de subir ao palco do auditório da Estácio para ministrar sua aula no segundo aulão do Forpem, a Formação de Professores do Ensino Médio promovida pela Escola de Governança Pública do Pará (EGPA) que formou, neste sábado (26), a segunda turma do projeto.

Durante os sábados do mês de outubro um grupo de 70 professores participou da capacitação oferecida pela EGPA, divididos em turmas de acordo com as áreas de conhecimento aplicadas no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). No total, o Forpem já formou 150 professores.

O professor José Luiz foi um deles. Durante o aulão teve a oportunidade colocar em prática o conhecimento compartilhado em sala de aula no último mês. “Nosso foco é o sucesso dos nossos alunos, e poder rever nossa prática como esse aulão é essencial. Quando passamos pela graduação, pelo nosso ensino médio, nós aprendemos a partir de um tipo de aula que hoje não funciona mais”, explicou.

Para ele, a formação mostrou que as escolas estão vivendo um período de transição, o acesso às novas tecnologias agora é rotina na vida dos alunos e deve ser incluído também nas aulas. “O próprio Enem acompanha essa transição e nós precisamos acompanhar também”, complementou.

A diretora geral da Escola de Governança, Evanilza Marinho, destacou a importância da parceria para a realização do projeto. “O Forpem é um trabalho de muitas mãos, um esforço conjunto de vários professores e instituições que tem como objetivo elevar a qualificação dos professores atuantes na rede de ensino estadual”.

As duas primeiras turmas formaram exclusivamente professores das 21 escolas de ensino médio dos bairros Benguí, Cabanagem, Guamá, Jurunas, Terra Firme, Icuí e Nova União, beneficiados pelo Programa Territórios pela Paz (TerPaz).

Helton Costa, assessor especial da Secretaria de Estado de Articulação da Cidadania (Seac), esteve presente no aulão, representando o secretário Ricardo Balestreri, e elogiou a iniciativa. “No bairro do Guamá temos 120 mil pessoas, vamos imaginar que tenha 50 mil jovens na faixa escolar do Enem. Em dois meses não conseguiríamos atingir esses 50 mil jovens para capacitá-los para o Enem, mas conseguimos preparar uma boa quantidade de professores, que ficarão responsáveis por reproduzir esse conhecimento diariamente na sua escola. Criamos uma rede de educação para a formação de centenas de jovens dentro dos territórios”, disse.

A professora Glaucia Martins, de língua portuguesa, já tem a expectativa de trabalhar as novas metodologias aprendidas na escola e, para ela, quem mais ganha com isso são os alunos. “Nosso aluno da escola pública só tem a ganhar com a iniciativa do Forpem, todos os professores estão saindo daqui querendo criar uma sala de aula diferenciada”.

Sara Emily, da escola Cônego Batista Campos, no bairro da Cabanagem, concorda com a professora. “Esse aulão traz uma visão mais ampla do que estamos estudando, cada profissional está nos ajudando muito para que a gente esteja mais confiante para o Enem, e já vemos isso nas nossas aulas também”, disse.

Entenda - O Forpem é um projeto da EGPA que integra o TerPaz, realizado em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e conta com a colaboração da coordenação do ensino médio, Centro de Formação dos Profissionais da Educação Básica do Estado do Pará (Cefor) e Unidades Seduc na Escola (USEs). 


© Copyright EGPA 2019 | Endereço: EGPA – Avenida Governador José Malcher, 900, Bairro Nazaré (entre Trav. Quintino Bocaiuva e Rua Joaquim Nabuco) . Belém – PA.

Desenvolvimento: PRODEPA  Usando CMS livre - Drupal  Sítio Acessível